Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

19
Mai 16

“In an increasingly dangerous and rapidly changing world, we must guarantee that our military and intelligence community have the capability to defeat barbaric Islamic terror groups and deter aggressor-nations, like Russia, Iran, China, and North Korea.” (Defense Subcommittee Chairman Rodney Frelinghuysen/R-New Jersey)

 

CJUrEUsWgAAkV_E.jpg large.jpg

Com a Globalização todo o poder passou do Estado para as grandes Corporações

(com todas as vítimas a aceitarem sem discutirem as virtualidades do interesse Privado sobre o interesse Público)

 

Na prossecução da luta contra os cortes orçamentais que tem vindo a afetar todas as organizações e agências ligadas ao sistema de Defesa Norte-Americana – como os Militares, a CIA e o Pentágono – eis que estala nos EUA um novo conflito institucional opondo agora os interesses dos Militares (com os Republicanos por trás) aos interesses do Pentágono. Mais um caso que só vem confirmar a verdadeira luta pela conquista do poder no interior dos EUA (que não é certamente a Eleição Presidencial), tendo de um lado todos aqueles que apoiam prioritariamente o desenvolvimento da Indústria Militar Norte-Americana (e de todas as suas estruturas de manutenção e suporte ligadas à economia global de guerra e representadas pelas grandes Corporações) e do outro de todos aqueles que se opõe a esta visão ideológica e estritamente bélica do mundo (contando ainda com o apoio de alguns Republicanos e Democratas reformados acreditando ainda nas virtualidades do diálogo e sobretudo da Paz).

 

Numa disputa interna a decorrer nos EUA – opondo o Congresso maioritariamente Republicano ao presidente Democrata Barack Obama – que só tem criado maior confusão neste sector tão importante da estrutura de defesa do país (tendo os militares à frente) com reflexos evidentes na aplicação das suas estratégias no terreno nos mais diversos conflitos existentes a nível mundial. Por vezes vendo-se as suas agências e organizações governamentais combatendo-se em grupos inimigos, exatamente no mesmo cenário: como é o caso evidente e recente da Guerra Civil Síria, onde a CIA e o Pentágono apoiam grupos terroristas diferentes, rivais e inimigos (provavelmente mortais mas de cariz moderado). E para encobrir tudo isto contando com a preciosa colaboração de toda a comunicação social mundial (especialmente Ocidental), ignorando os provocadores, desprezando as consequências, mas nomeando desde logo e como desculpa e justificação, os mais que prováveis (por aparecimento sistemático nas suas notícias e propaganda) criminosos: esquecendo-se da situação económica no seu próprio país e distraindo toda a sua população e o Mundo, ao apontar o dedo ao Diabo. E metendo no mesmo saco (Rússia, Irão e China) e (ISIS e Coreia do Norte). Mas esquecendo-se do outro (EUA e Arábia Saudita) e porque não do seguinte (Alienígenas).

 

“The Defense Authorization bill is supposed to be an opportunity for Congress to shape national defense priorities and share the responsibility with the president when it comes to foreign policy. Generally the president has significant authority to make his mark on foreign and defense policy and the authorization process for both the Defense and State Departments is the Constitution’s way to make sure the co-equal Legislative Branch of government is properly part of the process. Sadly though this is what was intended, current reality no longer resembles what was meant to be. Instead, Congress members abrogate their authority to set defense spending priorities to the Pentagon, the military-industrial complex, and to special interests in their districts. The result is a mess that has very little to do with defending this country and a whole lot to do with enriching those in position to feed from the trough.” (Daniel McAdams – antiwar.com – 16/05716)

 

flightradar.jpg

Flight Radar’s estimation of the flight’s location when it disappeared

(egyptianstreets.com)

 

Entretanto com os EUA entretidos com esse verdadeiro circo de hipocrisia que são as Eleições Presidenciais norte-americanas – com um candidato dito representante do sistema a disputar a eleição, contra um outro pretensamente opondo-se-lhe como um milionário antissistema – financiada pelas Corporações que controlam os políticos (antes nossos representantes agora seus advogados) e generosamente os remuneram (substituindo-se ao pobre e descredibilizado Estado). E com o terrorismo global em marcha contínua, acelerada e aparentemente cada vez mais poderoso – como o (ainda fresco) caso do avião das linhas aéreas egípcias parece mais uma vez comprovar:

 

Egypt's Air Minister:

Terrorism More Likely Cause of Jet Crash Than Technical Issues

 

The crash of an EgyptAir flight en route to Cairo from Paris was more likely caused by a terrorist attack than by a technical failure, Egypt's aviation minister says. Minister Sherif Fathy discussed the crash even as a search operation continued in the Mediterranean for wreckage from the plane, which had 66 people aboard when it disappeared from radar Thursday, moments after it entered Egyptian airspace on the four-hour flight from France;

 

EgyptAir said it lost contact with the Airbus A320 plane at about 2:30 a.m., Cairo time, when the airliner was above 11,000 meters and just 16 kilometers inside Egyptian airspace. Greek defense minister Panos Kamennos said the plane made sudden turns and a sharp descent before disappearing from the radar. 'It turned 90 degrees left and then a 360-degree turn toward the right, dropping from 38,000 (11,582 meters) to 15,000 feet (4,572 meters) and then it was lost at about 10,000 feet (3,048 meters),'' he said. (Hamada Elrasam, Lisa Bryant – voanews.com – 19.05.16)

 

Num roteiro iniciado no distante e desprotegido Afeganistão, prosseguido com grande destruição e violência num país riquíssimo em petróleo como o Iraque, continuado como num intervalo de um filme de guerra com as subtis e manipuladas Primaveras Árabes, entretanto mudando novamente de tom e promovendo de novo a violência e a morte na Líbia e posteriormente na Síria, alastrando a violência ainda mais um pouco mais longe até atingir o Iémen (condenando-o à sua extinção e desaparecimento como estado), permitindo a infiltração da Turquia e a invasão da Europa e finalmente, como se já não o tivéssemos sentido, o fim dos nossos valores (humanos e de solidariedade) como cidadãos europeus. Comprovado com os atentados em terra e no ar para já não falar de milhares morrendo no mar. Hoje com mais uma vítima a adicionar a esta lista (num mais que provável atentado terrorista curiosamente ainda não reivindicado):

 

“EgyptAir Wreckage Found in Sea; Egypt Cites Possible Terrorism.”

(nytimes.com)

 

Ontem a Guerra era lá longe agora é mesmo aqui – e com vítimas de todo o mundo (na queda do avião egípcio sobre o mar Mediterrâneo uma das vítimas era portuguesa).

 

(imagem inicial: Ian56/@Ian56789/twitter.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:41

Maio 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11

20
21

24
28

29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO